Julius Shulman, o verdadeiro criador do Home Staging

Barbara Schwarz não é a criadora do Home Staging

A origem do Home Staging é atribuída a uma agente imobiliária americana, Barbara Schwarz. No no artigo do blog falo dela e de como tudo começou, mas a grosso modo, em 1972, apenas um ano depois de se tornar corretora de imóveis e graças ao seu talento teatral, ela decidiu fazer uma "posta em cena" e o resultado surpreendeu tanto o cliente, bem como os seus colegas de profissão.

A história do design e do Home Staging

Se estudarmos um pouco sobre a história do design e um icônico fotógrafo de interiores, Julius Shulman, rapidamente percebemos que as suas fotografias são “postas em cena”. Além das personagens que transmitiam sensações e mostravam o estilo de vida idílico, também tinha as mesas postas e elementos estrategicamente colocados no espaço. Tudo, com o objetivo de criar um ambiente idílico e quem visse as suas fotografias deseja-se viver aí.

"As minhas imagens sempre contam uma história, talvez porque há pessoas nelas."

Julius Shulman

O início da fotografia de Julius Shulman

Shulman é um dos mais reconhecidos fotógrafos de arquitetura do mundo, mas tudo começou por acaso.

Na década dos anos 30, um amigo seu, desenhador do famoso arquiteto Richard Neutra, levou-o para ver a última obra do arquiteto, a Kun House. Shulman e a sua Kodak Vest Pocket, uma câmera de bolso para amadores, capturaram aquela mansão inovadora. Quando Neutra viu as fotos, pediu para conhecer Shulman e começou pedir-lhe as sua primeiras reportagens.

Um fotógrafo autodidata que continuou a trabalhar sem parar, em 1950 abriu o seu próprio atelier e trabalhou para grandes nomes da arquitetura e importantes revistas da área.

O reconhecimento global de Shulman

John Entenza, editor da revista Arts and Architecture, foi quem levou Shulman ao reconhecimento global, contratando Julius para mostrar as mansões criadas no programa Case Study, criado por John.

Era um projeto que animava os arquitetos a criar casas acessíveis mas modernas. As Case Study Houses, foram e são casas com elementos pré-fabricados de vidro e metal que foram construídas numa semana.

Diseñaram-se 36 e foram construidas 26, incluindo algumas criadas por grandes arquitetos da época, como Eames, Neutra ou Raphael S. Soriano. Shulman, com a sua visão estética e comercial, transformou-as em ícones.

A Stahl House de Pierre Koenig, criação número 22, foi uma das mais icônicas de todas, particularmente uma fotografia de Shulman que mostra duas mulheres a conversar numa sala de estar que aparentemente flutua acima de Los Angeles.

A fotografia de Julius Shulman

O fotógrafo utilizou quase sempre película a preto e branco, privilegiando os elementos geométricos essenciais das estruturas modernistas. No entanto, ele não se limitou a registrar detalhes arquitetônicos, teve uma visão inovadora e captou a vida no interior.

O objetivo da fotografia de interiores e arquitetura

Afinal, o objetivo da fotografia arquitetônica é vender o imóvel em questão ou mostrar a obra para vender os serviços do arquiteto para uma nova obra, o objetivo é totalmente comercial. E Shulman sabia disso, por isso deixou claro que queria mostrar cada criação sendo funcional. Os personagens são essenciais no seu trabalho. Eles trazem perspectiva e calidez e aquela tranquilidade dos anos 50 e 60 californianos que o resto do mundo invejava, que estavam sob o controle de ditaduras como a Espanha.

Julius vendia arquitetura com uma estratégia de Home Staging.

fotografia: Plataforma Arquitectura

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

pt_PT